Desabafo literário: No donut for you

Jessica Soares | Pra Ler

Prazos existem para serem desrespeitados. Você pode já ter ouvido alguém dizer isso, mas certamente esse alguém não era jornalista. “Deadline” é muito provavelmente a melhor palavra para descrever os mil telefonemas feitos às pressas, as madrugadas não dormidas, as conversas sem sentido que surgem quando o cérebro deixa de responder. Não se pode esquecer nenhum detalhe: pauta, roteiro, nota-pe e, principalmente, cabeça… Cabeça, ombro, joelho e pé. É preciso segurar as pontas e ligar todos os pontos.

Foi assim que fechamos duas reportagens em metade de um dia: uma sobre o fenômeno Harry Potter, outra sobre aproximação entre imagem e texto. Armados com um telefone e um gravador, o exército de três pessoas se virou para conseguir lutar contra o impiedoso tempo que insistiaem passar. Entrevistas, edição, montagem, gravação. Você vai por ali, eu por aqui, a gente se encontra lá na frente. Com trabalho assinado por muitas mãos, foi vencido o cachorro preto. Ou, pelo menos, até a próxima reunião de pauta.

Na hora de correr pro abraço – mais precisamente às 16h15 da quinta-feira – a surpresa: bad, bad server. Problemas técnicos não respeitam deadline, desonrando as noites não dormidas.

Não tivemos Pra Ler essa semana. Mas voltamos à nossa programação normal na próxima semana com a reportagem especial sobre Harry Potter, um momento “senta que lá vem história” e muito mais. Até lá!

Jessica Soares

As páginas amareladas, a poeira da capa, o lugar escondido no armário em que esperava por ser desbravado – a história sempre teve início antes das palavras. Nunca pisei no solo de outro planeta. Mas, na falta de naves, aviões e ônibus de viagem, embarquei nas páginas dos livros, que nunca falharam em me levar para longe.