desabafo

Fernanda Brescia | Pra Ler

de.sa.ba.fo
sm (der regressiva de desabafar) 1 Ação ou efeito de desabafar. 2 Alívio, desafogo. 3 Manifestação de sentimentos longamente contidos. 4 Pequena vingança.

Jornalistas quase nunca têm chance de desabafar. Aliás, têm sim. Mas, de duas uma: ou ele paga um psicólogo (barato) ou aluga os amigos em uma mesa de buteco (“hora extra” até no fim de semana? #fuêun).

Aproveitando a oportunidade gratuita [de desabafo], fiquei refletindo sobre o significado desta palavra e sobre a função do jornalista como “pluralizador de desabafos”. (Se não é, pelo menos deveria ser). [1]

Mas, geralmente, o que o jornalista faz é adequar as pessoas [fontes] e o mundo [o que dá pra ver da janela da redação] a sua pauta e não o contrário. O que o jornalista acaba fazendo [me-ca-ni-ca-men-te] é desabafar pelo avesso, recortando o universo em duas ou três fatias e entregando as mais gordinhas pra quem convém. Enfim, o que mais irrita (olha o desabafo aí, gente!) é que a ditadura “acabou”, mas os jornais continuam repletos de “receitas”. É tanto jornalista entendido ensinando como as pessoas devem se alimentar, como devem se vestir, como elaborar um currículo mais adequado, como andar corretamente, como fazer o risoto de camarão da vovó… quem falou que jornalista tem alguma credibilidade pra ensinar tudo isto? Ou mesmo pra escolher as pessoas que ensinam como todos devem ser ou pensar? [3]

O que me dá alívio [2] é que tenho observado uma tendência de libertação do medo que as pessoas tinham de falar o que realmente pensavam em frente às câmeras e aos microfones. É aí que fui entender o verbete inteiro. [4]

E aí vai a minha:

*Jornalistas. m+f+gls 1 Profissional da comunicação que, quando não está desempregado, trabalha na imprensa. 2 Pessoa que rala pra cacete, ganha mal, mas é apaixonada pelo que faz; o mesmo que artista mambembe; louco. 3 O arauto da verdade e da mentira também. 4 Aquele que adora uma desgraça ou notícia ruim; urubu. 5 (Psicologia) Sujeito vaidoso, com ego muito grande. 6 (depreciativo) Jornaleiro; fofoqueiro; sem-diploma; reporterzinho; escrevinhador. 7 (Sociologia) Indivíduo com grande dificuldade de interação social e familiar, em função do trabalho árduo. 8 (jurídico) Aquele que foi condenado à maluquice perpétua, sem direito a habeas-corpus. 9 (antigo) Profissional que saía às ruas para apurar informações. 10 J. especialista: Aquele que acha que entende muita coisa de um único assunto; J. generalista: Aquele que não entende porra nenhuma de diversos assuntos. 11 (Folclore) Alma boêmia que vaga em noites de lua cheia, nova, minguante, crescente ou mesmo em noites sem lua por bares de reputação duvidosa.

*Definição retirada do blog “Desilusões Perdidas”.