Dorival e Jorge: dupla dinâmica

Dorival e Jorge: dupla dinâmicaRedd Angelo / unsplash

A parceria entre escritores e compositores quase sempre rende boas músicas e histórias para nossos ouvidos. A amizade entre Jorge Amado e Dorival Caymmi, por exemplo, até hoje dá um bom show. A Academia Brasileira de Letras iniciou a série “MPB na ABL 2012” com uma homenagem a essa amizade e aos 100 anos de Jorge Amado, que seriam completados em agosto deste ano.

Stella e Danilo Caymmi subiram ao palco no lançamento da série e cantaram músicas criadas por Jorge Amado e Dorival Caymmi, como É Doce Morrer no Mar- com versos extraídos do romance Mar Morto -, e Retirantes e Modinha para Tereza Batista, inspirada no livro Tereza Batista Cansada de Guerra. Antes de cada música, Stella Caymmi, que também é doutora em Literatura, contava um pouco a história da composição da música. É Doce Morrer no Mar, por exemplo, foi feita informalmente, em 1939, numa festa junina na casa do pai de Jorge, no subúrbio do Rio. Eles resolveram brincar de compor, fizeram uma competição entre Jorge e Érico Veríssimo para ver quem fazia a melhor letra e Érico perdeu.

Entre as parcerias de Jorge e Caymmi tem também Beijos pela noite, com a participação de Carlos Lacerda (sim, o das confusões com Getúlio Vargas), Canção para Prestes, feita por Caymmi a pedido de Jorge para a campanha de Luiz Carlos Prestes, e Acontece que eu sou baiano, escrita especialmente por Dorival a pedido de Jorge para selar o romance do futuro Acadêmico com Zélia Gattai.

Todos os shows da série “MPB na ABL” tem transmissão ao vivo pelo Portal da Academia.

Vimos na Academia Brasileira de Letras, com informações da Folha de São Paulo
Imagem: Divulgação/Internet