O livro que não pode esperar

O livro que não pode esperarDylan Luder / unsplash

Depois de aberta a primeira página, uma corrida contra o tempo. Dois meses. Esse é o prazo que o livro dá ao leitor. Depois disso, a história que ele carrega desaparece. Letra por letra, parágrafo por parágrafo, até que sobre apenas um amontoado de folhas em branco. A experiência chamada “E libr qu no p ede esper r” é uma iniciativa da Editora Eterna Cadencia e da agência de publicidade DraftFCB, ambas argentinas. O livro foi criado com uma intenção óbvia: forçar uma leitura rápida. A fórmula da tinta, que tem uma cor meio rosada e um cheiro que lembra solvente, é secreta. A editora e a agência afirmam experiência é única no mundo editorial.

Para estrear a iniciativa, foram escolhidos contos de jovens escritores latino-americanos. A antologia El futuro no es nuestro, organizada pelo peruano Diego Trelles Paz, já havia sido publicada da forma tradicional em 2009. A escolha não foi por acaso. O diretor da DraftFCB, Javier Campopiano, explicou, em entrevista à Revista Ñ, que os jovens autores foram escolhidos por que precisam do boca a boca e, às vezes, até de um segundo livro para serem conhecidos. Ou seja, eles precisam ser lidos.

Para “E libr qu no p ede esper r”, a expressão “o tempo urge” é mais do que verdadeira. Confira abaixo um vídeo que mostra o projeto:

Dica de Manuel Marçal, notícia publicada na Revista Ñ

Thais Marinho

Ainda são poucos os livros na minha estante e muitos na lista para serem lidos, mas a paixão por eles já está há muito tempo instalada. Hoje, cá estou, quase ex-jornalista, estudante de Letras, atualmente em terras hermanas, desbravando o argentinês e as literaturas hispano-americanas.