A Igreja do Livro Transformador

A Igreja do Livro TransformadorDylan Luder / unsplash

Ela está fora da televisão aberta ou do Congresso Nacional. Também não cobra dízimo a cada mês. A Igreja do Livro Transformador, apesar disso, conseguiu arrebanhar grande número de fiéis. Tudo começou como uma brincadeira do escritor mineiro Luiz Ruffato e acabou ganhando força. A ideia era reunir em um espaço virtual “testemunhos” sobre aquelas obras que nos marcaram para sempre. A partir deste lema – livros mudam pessoas – qualquer um pode enviar para o site depoimentos em vídeo sobre seus títulos preferidos. Com a divulgação nas redes sociais, a seita multiplicou seguidores e promete crescer ainda mais.

O fundador da Igreja é um dos muitos salvos pela literatura. Filho do segundo pipoqueiro mais importante de Cataguases e de uma lavadeira analfabeta, o pequeno Luiz Rufatto não tinha livros em sua casa. O garoto, com a ajuda da bibliotecária do colégio, teve que lutar contra a falta de perspectiva para dar os primeiros passos no caminho das letras. Hoje o autor tem obras traduzidas em vários países, coleciona prêmios e se esforça para propagar esses milagres.

Antes de receber sua bênção, assista ao próprio Luiz Rufatto pregar, ou melhor, contar um pouco mais sobre a iniciativa:

E então? Botou fé? Grave seu testemunho, entre na igreja e faça parte desta história.

Amém.

Victor Vieira

Não leio bula de remédio. Falar isso seria exagero e estou longe de virar hipocondríaco. Mas é verdade que com as letras arrisquei quase tudo. No jornalismo, aprendi a espremer palavras para sair notícia. A ficção me ensinou a percorrer lugares na distância entre uma prateleira e outra. E escrever garante, a mim e a quem mais embarcar, novos roteiros para essas viagens.

Últimos posts por Victor Vieira (exibir todos)