[Última entrevista] Allen Ginsberg

Julia Marques | Pra Ler

Na década de 20, em New Jersey, Louis lia Edgar Allan Poe aos filhos, enquanto Naomi sofria colapsos mentais. Filho de um  pai poeta e de uma mãe paranóica, Allen Ginsberg viveu entre a poesia e a loucura – ou talvez da mistura de ambos.

Aos 18 anos, foi para a Universidade de Columbia, em Nova York, com o objetivo de se tornar um advogado trabalhista, mas mudou a rota. Foi lá que finalmente conheceu Jack Kerouac, de quem muito ouvia falar. Juntos, e em parceria com outros escritores, formaram a geração Beat, responsável por promover uma revolução nas letras e na cultura norte-americanas.

Allen falou de homossexualidade “num tempo em que a profissão médica a considerava uma doença e era punida como um crime em muitos estados da União”. Seu livro mais famoso, Howl and Other Poems, causou tanta polêmica que, em 1956, a obra foi processada por obscenidade. Recebia a notícia da morte de sua mãe ao mesmo tempo em que atestava o sucesso: sua obra tornava-se o livro de poesias mais vendido na história dos EUA.

Depois de décadas de viagens ao mundo do álcool e das drogas, Ginsberg sucumbiu ao câncer no fígado – mesma causa da morte de Kerouac – em um dia de outono em 1997. O poeta terminou seus dias cercado pela família e amigos em seu apartamento. A última entrevista de Allen foi dada a Allan Gregg no ano de sua morte:

Com informações daqui, daqui e daqui.

Julia Marques

Julia Marques

Quando era bem pequena resolvi escrever um livro. Era a história de um barquinho que perdeu o rumo no mar. Desde então, minha relação com a literatura vem em ondas: às vezes bate forte, sacudindo tudo. Outras vezes sossega. Encontrei no Pra Ler o sopro para essa aventura. Meu barquinho infantil segue cambaleando por esse mar de histórias, personagens, e cenários. Talvez um dia ele aviste um porto.
Julia Marques