Mais reviravolta na história

Mais reviravolta na históriaRedd Angelo / unsplash

No final do século XIX, uma série de crimes abalou o pequeno distrito de Whitechapel, ao leste de Londres. Prostitutas eram estranguladas, mutiladas e algumas tiveram órgãos internos retirados. A identidade de Jack, o Estripador, nunca foi descoberta. De lá pra cá, muitos foram considerados suspeitos, vários teorias sobre os crimes foram desenvolvidas, mas nenhuma prova concreta conseguiu por fim às investigações. Com uma história tão misteriosa, Jack se tornou célebre: já foi personagem de livro, filme e os supostos locais por onde andou viraram até ponto turístico no leste de Londres.

Agora, Jack volta às páginas dos livros pelas mãos do advogado aposentado, John Morris. A obra Jack The Ripper: The Hand Of A Woman chega com uma peculiaridade: a suspeita de que Jack, na verdade, seria uma mulher, não movida por frustrações sexuais, mas por vingança contra mulheres que, ao contrário dela, poderiam engravidar. só sugestão mesmo O escritor lista uma série de indícios que poderiam comprovar uma identidade feminina por trás dos crimes: os úteros de três vítimas foram extraídos, as prostitutas não foram agredidas sexualmente, uma capa e um chapéu femininos foram encontrados no local do último crime e não pertenciam à vítima.

John Morris ousa, inclusive, dar nome à mulher por trás dos crimes: Elizabeth Williams, esposa do ginecologista John Williams, também suspeito dos assassinatos. Será?

Vimos na BBC Brasil
Imagem: Divyulgação/Internet