Muitos livros na bagagem

Muitos livros na bagagemDylan Luder / unsplash

Toda leitura é uma viagem. Às vezes por um mundo fictício como Oz ou a Terra Média. Outras, por mundos reais. Países, cidades, vilarejos, aldeias que realmente existem no mapa podem ganhar contornos especiais nas mãos de um autor. Edgar Rice Burroughs, o criador do Tarzan, escreveu sobre selva africana sem nunca ter pisado lá. Ele usou como referência obras que lia sobre lugares exóticos, como as de Rudyard Kipling, e muito de sua imaginação. Os espaços pode ser muito bem descritos por uma obra literária. Tão bem descritos que, às vezes, se tornam personagens da narrativa tão importantes quanto os demais. É quando o leitor consegue se transportar para um espaço a milhas de distância com apenas um livro na mão.

Se você já teve essa experiência é hora de compartilhar. Foi criado no Google Maps, o Mapa de livros e lugares, uma ferramenta colaborativa. Lá, qualquer um pode marcar a cidade que tenha “visitado” quando leu um livro. O mapa mostra quais livros se passam em cada localidade: da ilha de Noa Noa, no Pacífico, até Lisboa, em Portugal, passando por Pretória, na África do Sul. Nas coordenadas de Belo Horizonte, por exemplo, já estão marcadas as obras O Amanuense Belmiro, de Cyro dos Anjos, O encontro marcado, de Fernando Sabino, e Hilda Furacão, de Roberto Drummond.

O mapa foi criado em 2010 e já tem mais de 130 mil visualizações. Pra quem gosta de conhecer muitos lugares sem sair do lugar, ele é um ótimo guia. Muito bom também pra quem planeja uma viagem e já quer entrar no clima com uma boa dose de literatura.

Vimos no Menos um na estante
A dica foi da @juafonso, do blog de viagens Eu mundo afora

Julia Marques

Julia Marques

Quando era bem pequena resolvi escrever um livro. Era a história de um barquinho que perdeu o rumo no mar. Desde então, minha relação com a literatura vem em ondas: às vezes bate forte, sacudindo tudo. Outras vezes sossega. Encontrei no Pra Ler o sopro para essa aventura. Meu barquinho infantil segue cambaleando por esse mar de histórias, personagens, e cenários. Talvez um dia ele aviste um porto.
Julia Marques