Os livros que “les cambiaron la vida”

Os livros que “les cambiaron la vida”kaboompics / reprodução

Em agosto de 2008, a edição impressa da revista dominical do jornal El País publicou uma lista com os livros que mudaram a vida de cem escritores em espanhol. Cada autor, entre eles Javier Cercas, Carlos Fuentes e Juan Marsé, escolheu dez livros marcantes. Foram elencadas obras reconhecidas mundialmente e outras menos célebres; de escritores espanhóis, russos, franceses, argentinos e, inclusive, de brasileiros. (veja a lista completa aqui).

Entre os verde-amarelos, Grande Sertão: Veredas entrou na lista do espanhol Manuel de Lope e do boliviano Edmundo Paz-Soldán. A obra-prima de Machado de Assis, Dom Casmurro, está entre os livros marcantes para o chileno Rafael Gumucio, e A paixão segundo G.H, de Clarice Lispector, é o primeiro entre os preferidos do escritor espanhol Javier García Sánchez

Na última semana, o Quelibroleo.com ordenou as obras apontadas pelos cem escritores de acordo com o maior número de preferências. O resultado foi esse:

1.Dom Quixote, Miguel de Cervantes.
2.Em busca do tempo perdido, Marcel Proust.
3. Odisséia, Homero.
4. O processo, Franz Kafka.
5. A metamorfose, Franz Kafka.
6. Anna Karenina , León Tolstói.
7. Moby Dick, Hernan Melville.
8. Contos, Antón Chéjov.
9. Guerra e paz, León Tolstói.
10. Ficções, Jorge Luis Borges.
11. Poeta em Nova Yorque, Federico García Lorca.
12. Os irmãos Karamazov , Fiódor Dostoievski.
13. Crime e castigo, Fiódor Dostoievski.
14. A Bíblia
15. A montanha mágica, Thomas Mann.
16. Pedro Páramo, Juan Ruflo.
17. Ulisses, James Joyce.
18. O som e a fúria, William Faulkner.
19. Madame Bovary , Gustave Flaubert.
20. As mil e uma noites
21. Debaixo do vulcão, Malcom Lowry.
22. A morte de Virgílio, Hermann Broch.
23. Ensaios, Michel Montaigne.
24. Lolita, Vladimir Novokov
25. Vermelho e preto, Stendhal.
26. O Aleph, Jorge Luis Borges.
27. Tristram Shandy, Laurence Sterne.
28. O coração é um caçador solitário, Carson McCullers.
29. O coração das trevas, Joseph Conrad.
30. As flores do mal, Charles Baudelaire.
31. O Banquete, Platão.
32. O apanhador no campo de centeio, J.D. Salinger.
33. A educação sentimental, Gustave Flauber.
34. As elegias de Duíno, Rainer Maria Rilker.
35. Rimas e lendas, Gustavo Adolfo Bequer.
36. O ofício de viver, Cesare Pavese.
37. O livro do desassossego, Fernando Pessoa.
38. Obra completa, Jorge Luis Borges.
39. Assim falou Zaratustra, Friederich Nietzsche.
40. A ilha do tesouro, Robert Louis Stevenson.
41. Amarelinha, Julio Cortazar.
42. Fortuna e Jacinta, Benito Pérez Galdós.
43. Histórias extraordinárias, Edgar Allan Poe.
44. A cidade  e os cachorros, Mario Vargas Llosa.
45. A terra baldia, T.S. Elilot.
46. Metamorfoses, Ovidio.
47. Poemas, Emily Dickinson.
48. O rei lear, William Shakespeare.
49. Hamlet, Williaml Shakespeare.
50. Trilce, César Vallejo.
51. O estrangeiro, Albert Camus.
52. Absalão! Absalão!, William Faulkner.
53. Odes, Horacio.
54. O longo adeus, Raymond Chandler.
55. O idiota, Fiódor Dostoievski.
56. O estaleiro, Juan Carlos Onetti.
57. O primeiro homem, Albert Camus.
58. O fazedor, Jorge Luis Borges.
59. Cem anos de solidão, Gabriel García Márquez.
60. A divina comédia, Dante Alilghieri.
61. La regenta, Leopoldo Alas Clarín.
62. As ondas, Virginia Woolf.
63. Enquanto agonizo, William Faulkner.
64. Diários, Franz Kafka.
65. A Celestina, Fernando de Rojas.
66. Ricardo III, Willilam Shakespeare.
67. Residência na Terra, Pablo Neruda.
68. Demian, Herman Hesse.
69. O médico e o monstro, Robert Louis Stevenson.
70. Conversa na catedral, Mario Vargas Llosa.
71. Orgulho e preconceito, Jane Austen.
72. O leopardo, Giussepe Tomasi di Lampedusa.
73. Lord Jim, Joseph Conrad
74. Lazarinho de Tormes, Anônimo.
75. Viagem ao fim da noite, Louis Ferdinand Céline.
76. Canto geral, Pablo Neruda.
77. Ilíada, Homero.
78. Luzes de Bohemia, Ramón María del Valle-Inclán.
79. A guerra do fim do mundo, Mario Vargas Llosa.
80. Alice no País das Maravilhas, Lewis Carroll.
81. Aforismos, G.C. Lichtenberg.
82. Manifesto Comunista, Karl Marx.
83. Mortal e a rosa, Francisco Umbral.
84. Dublinenses, James Joyce.
85. O grande Gatsby, F. Scott Fitzgerald.
86. Peter Pan, James Matthew Barrie.
87. Sonetos, Quevedo.
88. A Tia Julia e o escrevinhador, Mario Vargas Llosa.
89. David Copperfield, Charles Dickens.
90.O quarteto de Alexandria, Lawrence Durrell.
91. A queda, Albert Camus.
92. Orlando, Virginia Wolf.
93. O inconsolável, Kanzo Ishiguru.
94. Espaço, Juan Ramón Jiménez.
95. O mestre e Margarida, Mijaíl Bulgakov.
96. O jardim dos Finzi Contini, Giorgio Bassani.
97. Palmeiras selvagens, William Faulkner.
98. Pedra e povo, Gabriel Aresti.
99. Obras completas, Pío Baroja.
100. O segundo sexo, Simone de Beauvoir.

 

Vimos no Quelibroleo

Julia Marques

Julia Marques

Quando era bem pequena resolvi escrever um livro. Era a história de um barquinho que perdeu o rumo no mar. Desde então, minha relação com a literatura vem em ondas: às vezes bate forte, sacudindo tudo. Outras vezes sossega. Encontrei no Pra Ler o sopro para essa aventura. Meu barquinho infantil segue cambaleando por esse mar de histórias, personagens, e cenários. Talvez um dia ele aviste um porto.
Julia Marques