TOP 10 Prédios literários

TOP 10 Prédios literárioskaboompics / reprodução

Tijolos, cimento e palavras – esses são os elementos que compõem 10 prédios espalhados pelo mundo. O Flavorwire listou construções cuja principal inspiração está nos livros.

De um museu literário a hotéis situados em cidades invisíveis, passeie pelo mundo e pelas páginas de diversas obras através dos inusitados projetos:

1. O Museu da Inocência, inspirado na obra de Orhan Pamuk – Istambul


No livro de mesmo nome do autor turco Orhan Pamuk, um homem, Kemal, se apaixona pela jovem Fusun. Depois de um curto caso e uma longa obsessão, ela o deixa. Kemal compra a antiga casa da família de sua amada e começa a preenchê-la com objetos que ele coletou, transformando o prédio em um museu que abriga um pouco de Fusun e da paixão que sente por ela. Pamuk criou um museu real na região de Çukurcuma, em Istambul, misturando elementos da memória presente no livro e as suas próprias. O Pra Ler falou sobre o Museu aqui.

2. El Castell, inspirado na obra de Franz Kafka – Espanha


Em Barcelona é possível dar uma volta pela obra de Kafka, O Castelo. O arquiteto Ricardo Bofill criou em 1968 um prédio residencial inspirado na construção monumental em que K., o personagem principal do livro do autor alemão, não consegue adentrar.

3. Hotel Tres Sants, inspirado na obra de Italo Calvino – Espanha


O livro do escritor italiano, As cidades invisíveis, inspirou a criação de um hotel na ilha de Menorca. O projeto, assinado pelo arquiteto Fernando Pons Vidal e pela designer Chiara Fabiani, possui oito quartos, cada um representando uma diferente cidade imaginária descoberta por Marco Polo na obra de Calvino.

4. Casa inspirada na obra de Herman Melville – Estados Unidos


Localizada em Martha’s Vineyard, ilha de veraneio localizada na costa nordeste dos EUA, a casa do arquiteto Steven Holl é inspirada em uma passagem de Moby Dick, em que o autor norte-americano descreve uma tribo indígena constrói uma casa a partir dos ossos de uma baleia. Os ossos de madeira da casa estão quase dentro do mar, dando uma visão privilegiada do horizonte.

5. The Hobbits, inspirado na obra de J.R.R.Tolkien – Nova Zelândia


Quem quiser ter um gostinho do que é passar uma noite na Terra Média precisa reservar um quarto no “primeiro motel” inspirado em O Hobbit, clássica obra do escritor nascido na África do Sul.

6. Castelo de Lichtenstein, inspirado na obra de Wilhelm Hauff – Alemanha


O também chamado “Castelo do Conto de Fadas” foi inspirado pelo patriótico livro Linchtenstein, lançado em 1836. O Duque Wilhelm de Urach desejava ter um local para guardar armas, armaduras e quadros e, para isso, ordenou a construção de um autêntico castelo medieval em 1840, inspirado na popular obra de Hauff.

7. Villa Peet, inspirado na obra de Lewis Carrol – Holanda


A casa minimalista localizada em Lelystad, na Holanda, foi projetada pelo Studio Klink, e teve como inspiração o livro Alice no País das Maravilhas. A ideia era criar um universo particular que desse a impressão de entrar em diferentes mundos a cada porta – ou toca de coelho.

8. Walden, inspirada pela obra de Henry David Thoreau


Desenhada pelo designer Nils Holger Moormann, a casa de jardim móvel é inspirada por Walden, obra do norte-americano considerada um manifesto poético contra a civilização industrial.

9. Knut Hamsun Center, inspirado na obra de Knut Hamsun – Estados Unidos


O projeto de Steven Holl é considerado, além de uma homenagem ao escritor norueguês, uma síntese da sensibilidade literária do autor.

10. Casa de Francisco de Blas, inspirada na poesia de Luis Cernuda – Espanha


O professor de literatura Francisco de Blas queria adentrar de vez no mundo dos livros. Por isso, contratou o arquiteto Alberto Campo Baeza para que construisse uma casa em Madrid. Colocou em suas mãos os poemas do poeta andaluz Luis Cenuda, como inspiração. Sonhos, liberdade, lindas paisagens e o constrate entre vida interna e externa podem ser vistos do resultado final.

Jessica Soares

As páginas amareladas, a poeira da capa, o lugar escondido no armário em que esperava por ser desbravado – a história sempre teve início antes das palavras. Nunca pisei no solo de outro planeta. Mas, na falta de naves, aviões e ônibus de viagem, embarquei nas páginas dos livros, que nunca falharam em me levar para longe.