Salvador Dalí no Inferno de Dante

Salvador Dalí no Inferno de DanteDylan Luder / unsplash

Tudo começou com um convite feito no tão distante ano de 1957. O governo italiano pediu ao artista Salvador Dalí que aplicasse seus característicos traços à obra prima de Dante Alighieri, A divina comédia. A ideia é que as ilustrações estivessem prontas em 1965, quando seria celebrado o 700º aniversário do poeta nascido em 1265. Uma bonita homenagem, mas que não agradou a todos.

O povo italiano se revoltou com a possibilidade de se colocar a obra prima nacional nas mãos de um espanhol e o acordo acabou sendo desfeito. Isso, no entanto, não impediu que Dalí fizesse, por conta própria, desenhos de seu passeio pelo inferno de Dante (que em nada se parece com um inferninho qualquer, como contamos aqui). Para a alegria ou tristeza dos habitantes da Itália, o artista concretizou o encontro entre o poema épico italiano e as suas imagens.

Além de habitarem as páginas, as 100 ilustrações embarcaram em viagens próprias neste mundo, em diversas exposições nos mais diversos países. Quem quiser visitar os diversos círculos do inferno pode conferir abaixo algumas das imagens de Dalí:

A galeria completa pode ser vista aqui.

Vimos no Open Culture.

Jessica Soares

As páginas amareladas, a poeira da capa, o lugar escondido no armário em que esperava por ser desbravado – a história sempre teve início antes das palavras. Nunca pisei no solo de outro planeta. Mas, na falta de naves, aviões e ônibus de viagem, embarquei nas páginas dos livros, que nunca falharam em me levar para longe.