Guimarães Rosa pelas lentes de Fernando Sabino

Guimarães Rosa pelas lentes de Fernando SabinoDylan Luder / unsplash

Os buritis, a boiada, os vaqueiros. O sertão é tudo isso e muito mais. “O sertão é o mundo”. Um pedaço desse cenário retratado por Guimarães Rosa foi mostrado no documentário Veredas de Minas, produzido em 1975. No filme, imagens da vida sertaneja dão um gostinho do que o mineiro encontrou em suas andanças pelas veredas ao lado dos sertanejos.

Homens do sertão como Zito e Manuelzão, que se tornaram personagens das obras de Guimarães, relembram momentos ao lado do escritor. O documentário também traz imagens da pequena Cordisburgo, cidade natal de Rosa, e de sua posse na Academia Brasileira de Letras em 1967.

O filme também vale ser visto por um motivo a mais. Foi produzido pelo olhar de outro escritor também mineiro, Fernando Sabino. Em 1972, Sabino e o diretor de cinema David Neves criaram a produtora Bem-te-vi. Juntos, fizeram curtas sobre a vida de dez escritores. O material foi reunido no DVD Encontro Marcado com o cinema de Fernando Sabino e David Neves.

Confira abaixo a lista dos escritores que inspiraram os filmes de Sabino:
– Carlos Drummond de Andrade (O fazendeiro do ar)
– Jorge Amado (A casa do Rio Vermelho)
– Vinicius de Moraes (Poesia, música e amor)
–  João Cabral de Melo Neto (O curso do poeta)
–  Guimarães Rosa (Veredas de Minas)
–  Érico Verissimo (Um contador de histórias)
– José Américo de Almeida (Romancista ao norte)
– Afonso Arinos (O escritor na vida pública)
–  Pedro Nava (Em tempo de Nava)
– Manuel Bandeira (O habitante de Pasárgada)

Vimos no Blog Ebooks Grátis por sugestão de @mauropintoadv
Imagem em destaque retirada daqui.


Julia Marques

Julia Marques

Quando era bem pequena resolvi escrever um livro. Era a história de um barquinho que perdeu o rumo no mar. Desde então, minha relação com a literatura vem em ondas: às vezes bate forte, sacudindo tudo. Outras vezes sossega. Encontrei no Pra Ler o sopro para essa aventura. Meu barquinho infantil segue cambaleando por esse mar de histórias, personagens, e cenários. Talvez um dia ele aviste um porto.
Julia Marques