Brasil compra mais livros?

Brasil compra mais livros?Redd Angelo / unsplash

Na média, foram mais de dois títulos na cesta de compras de cada brasileiro. O número de obras vendidas ao longo de 2011 foi de 469,5 milhões, de acordo com levantamento da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe). O índice, 7,2% superior em relação ao ano passado, é um recorde para o segmento editorial. Se ainda não estamos lendo muito, pelo menos levamos mais páginas para casa – ou para os gabinetes de secretarias e ministérios. As vendas para o governo cresceram 21% e ajudaram muito a alavancar os bons resultados.

Quem gosta de lançamentos realmente teve mais opções nas prateleiras. Em 2011, foram 20.405 novos títulos no mercado. No total, o setor acumulou 58.192 publicações – um avanço de 6,28% em relação ao ano anterior. Entre as modalidades de venda, o comércio de porta em porta está perdendo a força. Em 2011, menos de um a cada dez livros tiveram esse tipo de negociação. Podem até culpar a tecnologia, mas o segmento de livros virtuais ainda engatinha. O faturamento com obras digitais foi de R$ 869 mil. A grana é alta, mas não passa de bagatela em relação ao total – que corresponde a quase R$ 4,84 bilhões.

Segundo a pesquisa, o livro tem saído mais barato para os brasileiros – um recuo de 6,11% no preço. A diferença, no entanto, mal dá para adquirir um marcador de página: R$ 0,79 (o valor médio caiu de R$12,94 para R$12,15). Deu vontade de correr até uma livraria? Talvez você possa mudar o roteiro. A fatia de participação de vendas dentro de igrejas e templos mais que triplicou de tamanho entre 2010 e 2011.

Apesar da credibilidade e tradição da Fipe, é bom encarar as estatísticas com um pé atrás. No Brasil, só uma editora tem capital aberto – a Saraiva – e as outras empresas não se sentem muito estimuladas a divulgar seus balanços. A tarefa, nada fácil inclusive, dos responsáveis pela sondagem é convencer que o mercado e o grande público só vão conhecer os números na somatória geral. Outra parte da desconfiança vem do número de pesquisadas: do total de 500 editoras no país, segundo estimativas, somente 178 responderam aos questionários. A coordenação do estudo garante que a amostra equivale a um quinto das editoras e quase 60% do faturamento.

O levantamento “Produção e vendas do setor editorial brasileiro” é encomendado anualmente pela Câmara Brasileira do Livro e pelo Sindicato Nacional dos Editores de Livros.

Com informações do Publishnews e do blog A Biblioteca de Raquel.
Imagem retirada do Mundo Marketing

Victor Vieira

Não leio bula de remédio. Falar isso seria exagero e estou longe de virar hipocondríaco. Mas é verdade que com as letras arrisquei quase tudo. No jornalismo, aprendi a espremer palavras para sair notícia. A ficção me ensinou a percorrer lugares na distância entre uma prateleira e outra. E escrever garante, a mim e a quem mais embarcar, novos roteiros para essas viagens.

Últimos posts por Victor Vieira (exibir todos)