Steve Rogers para presidente

Steve Rogers para presidenteDylan Luder / unsplash

Nada de Barack Obama ou Mitt Romney – o próximo presidente dos Estados Unidos será Steve Rogers. Ou, pelo menos, é isso que aconteceu no universo Marvel. Na edição de número 15 da série Ultimate Comics, publicada na última semana, o patriótico herói Capitão América assumiu o cargo e a tarefa de reconstruir o país em crise.

Para chegar ao posto, o soldado não participou de uma eleição. Ao que parece, teria sido convocado pelo povo, que pediu ao herói que liderasse o país no momento sombrio que vive dentro do universo Marvel. Para cumprir sua missão, a equipe da HQ explica que o herói não será visto atrás de uma mesa. Tampouco o governo do super-herói vai se assemelhar a governos anteriores, da realidade ou da ficção. “O Capitão é um soldado, não um político. Ele foi chamado pelo povo para unir a América”, afirma o roteirista Sam Humphries em entrevista ao IGN. “Ele vai reinterpretar o cargo de forma que se ajuste aos tempos de crise, alinhando-o ao que ele considera a coisa certa a se fazer”, completou o escritor.

Caso você ainda esteja se perguntando se Capitão América é republicano ou democrata, os roteiristas deixam logo claro: Capitão América não tem filiação partidária, “não é um presidente político”, explicou Humphries. Que símbolo ostenta então o herói ufanista nesse momento de crise no mundo para além dos quadros?

   

Vimos no IGN.

Jessica Soares

As páginas amareladas, a poeira da capa, o lugar escondido no armário em que esperava por ser desbravado – a história sempre teve início antes das palavras. Nunca pisei no solo de outro planeta. Mas, na falta de naves, aviões e ônibus de viagem, embarquei nas páginas dos livros, que nunca falharam em me levar para longe.