Um feriado inquieto

Um feriado inquietoBrandon Redfern / reprodução

A partir desse ano, o dia 16 de novembro será considerado o Dia do Desassossego. Promovido pela Fundação José Saramago, a data faz homenagem ao escritor que dá nome à instituição, um dos mais renomados da língua portuguesa. “Desassossego” é referência a uma frase de Saramago:  “Escrevo para desassossegar os meus leitores”, disse ele pela última vez, na apresentação do seu romance Caim. Durante o dia 16, data do nascimento do autor, os fãs de Saramago estão convidados a saírem às ruas portando algum dos seus livros.

Neste ano, as celebrações do aniversário do escritor, juntam-se à comemoração da 30ª edição do Memorial do Convento, romance histórico de Saramago. Entre as diversas atividades, em Lisboa, a partir das 12 horas, atores e atrizes do grupo Éter vão recriar passagens do romance e Jorge Baptista da Silva vai entonar árias do músico Domenico Scarlatti, personagem (real) de Memorial do Convento. Outras figuras que fazem parte da obra, como Blimunda, Baltazar, Frei Bartolomeu de Gusmão – e até o Cão, estarão presentes na festa. Eles ocuparão as janelas e varandas da sede da Fundação, pela mão do pintor José Santa-Bárbara.

Em 2012, José Saramago completaria seus 90 anos de idade, caso estivesse vivo. Essa é apenas mais uma das várias iniciativas que têm marcado as efusivas comemorações do ano do 90ª aniversário do escritor em Portugal, para maiores informações, acesse: Fundação José Saramago.

Ennio Rodrigues

Adoro as mais improváveis viagens que se pode imaginar a partir de um texto, até as divergentes. Não sou leitor precoce, mas tenho uma ótima arma: curiosidade. D’O Guia do Mochileiro das Galáxias ao Machado. Foi um amigo que disse certa vez e concordo: “nem que passasse a vida inteira a ler, terminaria todos os Clássicos! Em vez disso, prefiro apenas tentar encontrar livros que me tirem do lugar”.