2013 é o ano da Mônica

2013 é o ano da MônicaRedd Angelo / unsplash

Corpinho de uma criança de sete anos, o mesmo vestidinho vermelho, dentes avantajados, altura desprivilegiada, coelho encardido e os carinhosos apelidos de gorducha, rolha de poço, baleia… Só de olhar para a Mônica é impossível dizer, mas ela vai se tornar uma cinquentona muito em breve.

A primeira aparição da personagem foi em uma tira de jornal, no dia 21 de março de 1963, junto com o Cebolinha (criado em 1960). Mesmo sem nenhuma fala, ela já distribuiu a primeira de muitas coelhadas, que se tornariam uma de suas marcas registradas. Graças à sua personalidade forte e simpatia, conseguiu admiração do público e passou a ser a dona da rua (ou da lua, como diria o Cebolinha), ganhando uma revista própria – e o posto de líder da turminha – em 1970.

Assim como várias outras criações de Maurício de Sousa, a Mônica surgiu como homenagem a uma de suas filhas, homônima à personagem. Quando pequena, ela também era gorducha, baixinha e dentuça, além de possuir uma personalidade briguenta. Os cabelos em forma de banana surgiram após um corte de cabelo desastroso feito pela irmã Mariângela (que mais tarde inspiraria a Maria Cebolinha). Os traços da personalidade da filha foram acentuados, mas estão todos lá. Segundo o próprio Maurício, a Mônica “é forte, decidida, tem opinião e é sensível”.

A importância da personagem vai além da história dos quadrinhos nacionais e da alfabetização de muitas crianças (eu incluso). Desde 2007 ela é reconhecida como uma das quatro personalidades brasileiras que são embaixadoras da Unicef, ao lado de Renato Aragão, Daniela Mercury e Lázaro Ramos. Esse reconhecimento veio graças ao seu “trabalho de disseminação de valores como a amizade, a importância da educação, da convivência familiar e comunitária ao longo dos anos”. Vem dessa parceria os gibis especiais com lições sobre cidadania, por exemplo.

Por causa dessa importância, a Maurício de Sousa Produções planeja um ano inteiro de comemorações ao cinquentenário da nossa dentuça favorita. Umas das primeiras ações foi o lançamento do Tumblr #MônicaFact, que reúne 50 fatos engraçados sobre o comportamento da menina.

Recentemente, dois vídeos foram lançados. O primeiro deles, curtinho, faz uma retrospectiva do traço da personagem. Se no início ela aparecia com um semblante marrento e o Sansão ainda amarelo, logo depois ela já abre o sorriso e se aproxima do que conhecemos hoje. O segundo mostra a história da Mônica narrada por Maurício de Sousa, com direito a piadinhas feitas pelo Cebolinha e pelo Cascão e muitas coelhadas.

Outra novidade já planejada, mas ainda sem previsão de lançamento, é a graphic novel da turminha, no estilo da já lançada Astronauta Magnetar. Os responsáveis pela releitura serão os irmãos Lu e Vitor Caffagi.

Esse é apenas o início do ano da Mônica. Acompanhe o Facebook e o Twitter da Turma da Mônica para mais novidades.

Brunin Assis

Cheirei um livro pela primeira vez aos quatro anos. Aos dez já era frequentador de bibliotecas. Aos quinze comecei a consumir exemplares mais pesados. Aos vinte não conseguia mais sair de casa sem um livro. Hoje sonho em ter uma casa cheia deles, mas tenho medo de ser preso por tráfico de cultura.